Agora que os potenciômetros já são bem conhecidos, (para aprender mais sobre o assunto clique aqui),  vamos falar um pouco sobre sua família, técnicas de construção e diferentes característica de cada modelo. Sempre tendo com objetivo proporcionar ao  projetista informações que propiciem a escolha do dispositivo mais adequado ao seu circuito.

Materiais utilizando no potenciômetros

Os materiais utilizados na construção do elemento resistivo dos potenciômetros varia conforme as características desejadas, como por exemplo a exatidão dos valores resistência (tolerância), capacidade de dissipação de potência, tempo de vida ou características de aplicação. Dessa forma, os potenciômetros podem ser construídos a partir de carbono, uma liga de cerâmica e metal conhecida como cermet, plástico condutivo e fio.

Os potenciômetros de carbono

 Os potenciômetros de carbono ou carvão são construídos depositando-se sobre uma base isolante uma fina camada de carvão, ou trilha, ver Figura 1. O cursor feito de material condutor (metal) desliza sobre a trilha de carbono proporcionando a variação da resistência entre seu terminal (terminal do cursor) e um dos terminais fixos.
potenciômetro de carbono -carvão
Figura 1 - Aspectos construtivos do potenciômetro de carvão

Características do Potenciômetro de carvão

Os resistores variáveis construídos a partir de carbono são os mais baratos da sua família, apresentam uma qualidade média em relação ao tempo de vida do elemento resistivo e do ruído. Podem ser encontrados em potência de 100mW até 5W, lembre-se de sempre calcular a potência que seus componentes estão dissipando, isso evita efeitos desagradáveis tais como o super aquecimento do componente. O superaquecimento  pode levar a diminuição da via útil e até mesmo a eventual queima do dispositivo eletrônico.

Os potenciômetros de Cermet

Os potenciômetros desse tipo são construídos a partir de uma compósito de cerâmica (cer) e metal (met), proporcionam excelente qualidade relacionada a alta estabilidade e baixo nível de ruído, porém apresentam um número limitado de operações, normalmente na ordem das duas centenas (200). Podem ser encontrados em uma ampla faixa de potências, 250mW até 2W.
potenciômetros de Cermet
Figura 2 - Potenciômetro de Cermet.


Os potenciômetros de Plástico Condutivo

São construídos utilizando plástico condutivo, o que lhes confere uma elevada qualidade, sendo utilizados em sistemas de áudio, isso se deve a sua precisão mecânica (possibilitando ajustes finos), grande via útil  e baixo ruído. Apresentam uma capacidade de dissipação de potência baixa, entre 250mW a 500mW.

 potenciômetros de Plástico Condutivo
Figura 3 -  Potenciômetros de Plástico Condutivo.


Os potenciômetros de Fio

Potenciômetros de potência ou fio são construídos com fio de uma liga de níquel-cromo, fixada sobre uma base cerâmica e um elemento cursor de metal que desliza sobre as espiras de fio, conferindo a mudaça de resistência a cada passo. Dessa forma, resistência varia de forma discreta, ao invés da transição continua dos outros modelos, apresentam a maior capacidade de potência, em relação aos outros tipos. Tem vida útil ilimitada, quando operam dentro da sua faixa de potência. Apresenta um sistema mecânico mais robusto do que os modelos e uma variação de resistência perceptível durante a sua manipulação. Podem ser encontrados em potências entre 5 a 50W, porém alguns modelos chegam a milhares de watts.

potenciômetros de Potência
Figura 4 - Potenciômetro de Potência.


REV:10.02.12M

1 comentários

Seguidores

Eletrônica em Vídeo