LEDDepois da ultima postagem sobre LEDs achei esta página para quem quer calcular os resistores dos LEDs de acordo com a tensão de alimentação do circuito, tensão do LED e corrente. Além de calcular o resistor o site mostra o esquema e distribui os LED em série e paralelo até que os número de LEDs desejado seja acomodado no circuito. Um ponto negativo do site é a tensão máxima de alimentação dos LEDs ter sido fixa em 24V. Porém, esta calculadora é capaz de acomodar até 200 LEDs em um único circuito.

Link para a página: http://ledcalculator.net/

Sempre tive problemas em achar informações precisas sobre LED (Light Emitting Diodes, Diodo Emissor de Luz) . Os LEDs são dispositivos eletrônicos muito utilizados na eletrônica para sinalizar eventos, alertas, informar estados internos.... Em algumas aplicações, se faz necessário saber o comprimento de onda, potência e intensidade luminosa do LED. Sem falar na máxima corrente suportada e queda de tensão sobre seus terminais: informações indispensáveis para o cálculo do resistor que irá limitar a corrente que passa pelo LED.

Espero que a tabela abaixo possa ser útil em seus projetos.


Para ampliar a Tabela de LEDs basta clicar sobre a figura.



Tabela de LEDsTabela de LEDs

LED - teoria

Postado por Unknown | 16:18 | , , , | 1 comentários »

LED (Light Emitting Diode ou Diodo Emissor de Luz), é um dispositivo semicondutor formado por uma junção PN, que ao ser energizado emite luz. A estrutura do LED é a mesma de um diodo, por isso que seu símbolo é o mesmo de um diodo mais duas setas, figura 1. O princípio utilizado no LED para fazê-lo emitir luz é chamado de eletroluminescência. Quando os elétrons livres próximos a uma junção semicondutora se combinam com as lacunas há uma mudança no estado energético do elétron, isto porque a energia de um elétron livre é maior que a de seu estado atual na banda de valência. A diferença de energia é dissipada na forma de um fóton, partícula envolvida nas interações eletromagnéticas, umas das manifestações das ondas eletromagnéticas é a luz e o infravermelho. Pronto, fez-se a Luz! Ah você não viu? Então é infravermelho.

Figura 1 - Símbolo do LED

O LED pode ser fabricando em diversas cores, isso depende da impureza utilizada para dopar o semicondutor que o constituí. Os LEDs construídos com Arsenieto de Gálio (GaAs, um material com propriedades semicondutoras), emitem radiação na faixa do infravermelho. Quando o material semicondutor utilizando na construção do LED é dopado com fosforo, esse emite uma luz amarelada ou avermelhada (depende no nível de dopagem). Quando utiliza-se Fosfeto de Gálio dopado com nitrogênio, a radiação é emitida no comprimento de onda do amarelo ao verde (também dependendo do nível de dopagem). Os LEDs de cor branca são LEDs de cor azul, porém utilizando uma camada de fosforo para converter o luz azul em branca. Também existem os diodos emissores de luz chamados de RGB (Vermelho, Verde e Azul) esse LEDs podem ser utilizando para formar todas as cores e tonalidades.

Introduziu em 18 de setembro de 1820 um novo campo de estudos, que ele denominou de eletrodinâmica, voltado ao estudo dos efeitos causados por cargas elétricas em movimento incluindo a interação entre condutores percorridos por correntes e entre campos magnéticos adjacentes. Construiu o primeiro solenóide e demonstrou que ele se comporta como um imã (o primeiro eletroímã). Sugeriu o nome de galvanômetro para um instrumento destina a medir intensidade de corrente.

O Francês André Marie Ampère nasceu em 1775 e faleceu em 1836. Foi matemático e físico, professor da matemática da École Polytechnique de Paris.

O PIC18F542 é um poderoso microcontrolador de 10MPIS (100 nanosegundo por instrução), fabricado pela Microchip. Possui 77 instruções assembly, memória de programa CMOS Flash de 32k (pode armazenar até 16384 instruções), 1.5k de memória RAM. Tanto a memória de programa como a de dados são de acesso linear, não estão organizadas em bancos de memórias, como acontecia com os modelos da família 16F e seus antecessores. PIC18F452 pode ser encontrado em encapsulamentos de 40 a 44 pinos (DIP, TQFP, PLCC). Uma grande vantagem da utilização de microcontrolador é sua compatibilidade pino a pino com os PIC16C5X, PIC12CXXX, PIC16CXX e PIC17CXX. Outra característica interessante do PIC18F452 é sua capacidade de auto programar-se, isso permite que programa complexos possam ser implementados. A memória EEPROM de 256 bytes também está presente neste modelo, tornando possível a codificação de algoritmos que envolvam auto-calibração, ajustes e armazenamento de parâmetros pelo próprio software.

O conversor analógico digital presente no PIC18F452 tem resolução de 10 ou 8 bits, configurável via software e oito canais analógicos. Para comunicar-se com o mundo exterior este modelo conta com interface SPI, IC2, USART (RS232 e RS485) e PSP, porta paralela escrava. Além de seus 34 pinos digitais que podem atuar com entrada ou saída.

Para controlar motores e inversores o PIC18F452 conta com dois canais de PWM com resolução máxima de 6.5 ns, podendo operar com freqüência de até 156kHz (oito bits de resolução) e 36kHz (10 bits de resolução).

Para mais informações veja:
Familia de microcontroladores PIC18FXX2 ou
Microchip lança a Família de MCUs de 32bis: PIC32


Bibliografia:
Microchip. PIC18FXX2 Data Sheets: High Performance, Enhanced FLASH Microcontrollers with 10-Bit A/D.


Compare essas fotos:

Andrea Rádio T16 (1947-1948)


Ipod Shuffle



A necropsia diz tudo

Seguidores

Colaboradores

Eletrônica em Vídeo